Mudanças no Mercado Brasileiro: Marcas

A Nielsen acaba de lançar uma série de artigos sobre as Mudanças no Mercado Brasileiro (2016). Resultado de pesquisas, os artigos são baseados em 5 principais pilares: preço, conveniência X economia, diminuição do share das marcas, conectividade e compras online.

No insight relacionado às marcas, a pesquisa aponta que “41% das marcas líderes retraíram volume de vendas em 2015, o que significa que 6 das top 10 marcas líderes perderam lealdade”. Essa realidade gera uma movimentação de Trade Down (troca por marcas baratas) cada vez mais forte entre os produtos, o que impacta diretamente na preferência dos lares às suas marcas prediletas.

Para reduzir esse impacto, indústrias e varejo devem buscar alternativas para chamar atenção desse consumidor (menos fiel as marcas), e conquistá-lo no momento mais importante de contato dele com o produto: o ponto de venda. Os esforços de varejistas e fabricantes, devem estar voltados para a “correta execução no ponto de venda”, onde a palavra mais importante desta frase não é a “execução” (normalmente com vistas ao preço e disponibilidade de produto), mas sim a palavra “correta”. Hoje, sinônimo de execução vencedora no ponto de venda, é a integração entre informação e tecnologia. Informação para análise do portfólio de produtos, gerenciamento das categorias, (organizar a loja sob a lógica de compra do consumidor), análise do shopper entre outras, e tecnologia para escolher entre tantas informações disponíveis, quais são realmente importantes para o negócio e para o atingimento dos resultados). Em um mundo em que, o tempo entre as coisas acontecerem e a tomada de decisão é cada vez mais curto, informação correta, precisa e atualizada é imprescindível. Ter o produto certo, no lugar certo, na quantidade certa, no momento certo e para o consumidor certo, nunca foi tão importante.



#mercado #consumo #economia #consumidor #adaptação